Dr. Caio de Assis Moura Tavares

CRM 156.640
Cardiologista | Clínica Médica

Formação

• Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – USP;
• Residência Médica em Clínica Médica pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – USP;
• Residência Médica em Cardiologia no Instituto do Coração (InCor), Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – USP;
• Médico Preceptor da Cardiologia Clínica do Insituto do Coração (InCor), Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – USP;
• Co-autor do blog Temas em Cardiologia – website que proporciona conteúdo médico para acadêmicos de medicina, médicos residentes e cardiologistas;
• Atualmente é Médico Assistente da Unidade de Cardiogeriatria do Instituto do Coração (InCor), Faculdade de Medicina da USP;
• Médico Plantonista da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) em Perdizes, São Paulo.

A Cardiologia

É responsabilidade do cardiologista todas as doenças que acometem o sistema cardiovascular – coração e vasos sanguíneos.

Infelizmente estas enfermidades são a principal causa de morte em adultos após os 40 anos em nosso meio.
Cabe ao cardiologista alertar sobre estes riscos bem como maneiras de preveni-los.

É dever do cardiologista ajudar na construção de vidas saudáveis e livres de doenças cardiovasculares.

Infarto do Miocárdio

O Infarto é um ataque cardíaco que ocorre quando o fluxo de sangue que leva ao miocárdio (músculo cardíaco) é bloqueado por um tempo prolongado, de modo que parte do músculo cardíaco seja danificado ou morra. Os médicos chamam isso de infarto do miocárdio. Também chamado de infarto agudo do miocárdio ou ataque cardíaco, o infarto pode ser fatal.

Tratamento
Com tratamento adequado, é possível evitar danos significativos no músculo cardíaco e isso é primordial para que o paciente possa viver muitos anos sentindo-se bem. Por isso, é crucial chamar a emergência ou correr para o hospital nos primeiros sinais do problema.

Causas do Infarto
Uma das causas do infarto ocorre quando uma ou mais artérias que levam oxigênio ao coração (chamadas artérias coronárias) são obstruídas abruptamente por um coágulo de sangue formado em cima de uma placa de gordura (ateroma) existente na parede interna da artéria.
Outra causa incomum de infarto são espasmos de uma artéria coronária, que podem ser capazes de interromper o fluxo de sangue a uma parte do músculo cardíaco. Drogas, como a cocaína, podem causar tal espasmo. Um ataque cardíaco também pode ocorrer devido a uma ruptura na artéria do coração, ou coágulos que viajaram de outras partes do corpo pelo sangue. Infarto também pode ocorrer se o fluxo sanguíneo para o coração é severamente diminuído, em situações como a pressão arterial muito baixa (choque).

Fatores de risco do Infarto
• Idade: homens acima dos 45 anos e mulheres com 55 anos ou mais tem maior propensão ao infarto
• Tabagismo
• Hipertensão
• Colesterol elevado
• Diabetes
• Histórico familiar de infarto
• Sedentarismo
• Obesidade
• Estresse
• Alcoolismo
• Uso de drogas ilegais estimulantes, como cocaína.

Arritmia Cardíaca

A arritmia cardíaca ocorre quando os impulsos elétricos do coração não funcionam corretamente.

Sintomas e Tratamentos
Pode não haver sintomas mas quando ocorrem, os sintomas incluem uma vibração ou dor no peito, desmaios ou tontura.
Se necessário, o tratamento inclui medicamentos antiarrítmicos, procedimentos médicos, dispositivos implantáveis e cirurgia.


A dor no peito ou dor torácica é uma das queixas mais comuns

Em certos casos, a dor no peito ou torácica poderá traduzir uma doença potencialmente grave. Apenas o médico está capacitado para avaliar adequadamente esse sintoma.

Angina do peito
Os pacientes costumam perceber as crises de angina do peito como uma pressão, aperto ou queimação na região central do tórax. A dor também poderá afetar os ombros ou irradiar-se pela face interna dos membros superiores, costas, pescoço, maxila ou região superior do abdome. Muitos indivíduos descrevem a sensação mais como um desconforto ou uma pressão do que uma dor propriamente dita. Tipicamente, a angina do peito é desencadeada pela atividade física, dura alguns poucos minutos (3 até 15 minutos) e desaparece com o repouso ou após o uso de medicamentos adequados, prescritos pelo médico.