Dr. Arnaldo Fazoli
Urologista | CRM 144.332

Especialista em Próstata, Rim e Bexiga.

Câncer de próstata, rim e bexiga;
Cálculo renal;
Infecção urinária;
Fimose;
Vasectomia e reversão de vasectomia;
HPV e outras DSTs;
Sintomas urinários;
Sintomas sexuais;
Varicocele e infertilidade.

Formação

• Graduado em Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – USP;
• Residência Médica em Cirurgia Geral e Urologia no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP – HC;
• Especializado em urologia oncológica minimamente invasiva (laparoscopia e cirurgia robótica) no Hospital Clínic de Barcelona;
• Médico da Divisão de Urologia do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo – ICESP;
• Membro da Sociedade Brasileira de Urologia;
• Membro da European Association of Urology (EAU);
• Cirurgião Robótico certificado pela Intuitive Surgical – da Vinci Surgical System.

Câncer da Próstata

O câncer da próstata é o tumor maligno mais comum do sexo masculino (excetuando-se os cânceres de pele) e o segundo que mais mortes causa, perdendo apenas para o câncer de pulmão. Apesar da alta mortalidade, a maioria dos cânceres de próstata costuma ter crescimento lento, ficando anos restrito à próstata sem causar metástases.

Sintomas
• Dificuldade para urinar;
• Jato de urina fraco;
• Dor ao urinar;
Necessidade de urinar com frequência, uma vez que, com a obstrução da passagem da urina, a bexiga está constantemente cheia, conseguindo apenas esvaziar pequenos volumes de cada vez.

Tratamentos
Os cânceres de próstata em estágios iniciais são potencialmente curáveis através de cirurgia e radioterapia. Os cânceres de baixa agressividade demoram entre dez a vinte anos para invadir outros tecidos. Quando ocorrem em doentes com idade avançada, podem não ser tratados, uma vez que os riscos e sequelas do tratamento não se justificam em alguém com expectativa de vida menor do que o necessário para a progressão do tumor. As complicações do tratamento incluem impotência, incontinência urinária e diminuição da libido.
Tumores avançados sem metástases são tratados com radioterapia. Tumores com metástases são tratados com medicamentos que fazem bloqueio hormonal (inibição da testosterona) e geralmente apresentam mau prognóstico.