Câncer de Mamas
(Reconstrução Mamária)

Dr. Marcelo Carvas

O Câncer de Mamas é o mais comum entre as mulheres. O tratamento desse tipo de tumor quase sempre inclui a retirada de parte ou da totalidade da mama acometida (e, em determinados casos, da mama sadia também). Após a retirada de um tumor mamário, o volume, o formato e a posição da mama mudam muito. Assim, o objetivo da reconstrução mamaria é criar uma nova mama semelhante em forma e aparência à mama natural. Nesse processo, muitas vezes é necessário subir/levantar a mama sem doenças com o objetivo de manter as mamas o mais simétricas possível entre si.

A reconstrução mamária pode ser imediata ou tardia. Na reconstrução imediata, a mama é reconstruída logo apos a remoção do câncer e, assim, a paciente acorda com a nova mama já em posição, sem ter que passar pela experiência de se ver sem o seio. Na reconstrução tardia, a nova mama é feita meses após a retirada do câncer. Tal abordagem, assim como a imediata, também apresenta vantagens e desvantagens.

O cirurgião plástico pode empregar tanto o uso de próteses e expansores quanto o uso de retalhos da própria paciente para a confecção e montagem da nova mama. A escolha de qual técnica será utilizada depende não somente do tamanho do câncer retirado mas também do biotipo e do desejo da paciente.

O tipo de técnica ideal varia de caso a caso e é determinada em conjunto com o cirurgião plástico, o mastologista e a paciente. Como para qualquer cirurgia, a indicação de cirurgia assim como seus resultados e suas limitações devem ser discutidas com a equipe médica.